Justiça anula eleição da Câmara de Itabuna

on .

A queda de braço entre Ruy e Aldenes está longe de terminar A queda de braço entre Ruy e Aldenes está longe de terminar

A eleição já passou, mas a disputa pela presidência da Câmara de Itabuna continua acirrada entre Aldenes Meira (PCdoB), eleito no último dia 30 de novembro, e o concorrente Ruy Machado (PTB), que entrou na Justiça contestando o resultado. A Justiça concedeu na terça-feira (16), uma liminar suspendendo o pleito. A decisão foi do juiz Ulysses Maynard Salgado, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Itabuna, região do sul da Bahia.

Segundo o magistrado, caso a determinação não seja cumprida, a presidência poderá pagar uma multa diária de R$ 2 mil. E tem mais: Aldenes terá que apresentar sua defesa num prazo de 24 horas.

Ruy entrou com uma ação pedindo que a Justiça suspendesse a eleição, após ter sofrido uma derrota por 12 a 9. Entre os fatos contestados pelo edil está a incineração das cédulas de votação.

Comentários (0)

Votação de recurso contra cassação de Luiz Argôlo é adiada

on .

rgolo

Da Agência Brasil

Antes mesmo da leitura do parecer sobre o recurso apresentado pelo deputado Luiz Argôlo (SD-BA) para tentar reverter a decisão do Conselho de Ética – que no final de outubro recomendou a perda de seu mandato por quebra de decoro parlamentar – o deputado Wladmir Costa (SD-PA) anunciou o pedido de vista. Com isso, o futuro de Argôlo foi adiado, regimentalmente, por mais dois dias.

A expectativa é que, com a manobra, o processo seja arquivado sem ser votado. Isso porque as atividades legislativas serão suspensas no próximo dia 23 para o recesso parlamentar de fim de ano. Conseguir o quórum mínimo de 34 deputados será uma tarefa ainda mais difícil para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que hoje só conseguiu o número necessário de presenças mais de uma hora e meia depois de iniciada a reunião.

"Se eu tenho dúvidas, tenho que me preocupar com minha análise. Se é uma prerrogativa, e a lei permite, eu pedi vista", explicou Costa, que assumiu hoje como integrante da CCJ no lugar de Fernando Franceschini (SD-PR) que se licenciou para assumir uma secretaria no governo do Paraná.

Costa também integra o Conselho de Ética da Câmara e acompanhou o processo no colegiado que recomendou a cassação do parlamentar. Ainda assim, explicou que precisa de mais tempo para analisar o voto do relator que negou o recurso apresentado pela defesa de Argôlo. "Acho que faltou mais profundidade na análise, principalmente sobre as testemunhas", disse.

No parecer, o deputado Valtenir Pereira (PROS-MT), negou o pedido de reconsideração feito por Argôlo. "Os prazos foram respeitados e o recorrente teve acesso a todos as provas", afirmou.

O pedido de vista se tornou coletivo durante a sessão e provocou a reação de alguns deputados que alertaram sobre o risco do processo ser arquivado. "É um pedido de vista extintivo. Não volta para a próxima legislatura. A partir do momento que o senhor [presidente da CCJ, Vicente Cândido] declarar o pedido de vista estará encerrando o processo", afirmou Sandro Alex (PPS-PR).

Não há consenso sobre o que será feito caso o processo se arraste para o próximo ano. Há uma linha que defende que, como não foi reeleito, Luiz Argôlo não pode ter o mandato cassado na próxima legislatura, quando deputados retornam para a Casa no dia 1º de fevereiro.

"Mas há um outro entendimento de que o fim da legislatura não encerra o processo de casssação. Isso pode até acontecer se a nova Mesa [formada pelos parlamentares eleitos este ano] tiver esse entendimento, o que será um prejuízo moral para a Casa", afirmou o deputado Marcos Rogério (PDT-RO), que foi relator do caso no Conselho de Ética.

A perda do mandato foi aprovada no final de outubro pelo Conselho de Ética por 13 votos a 4, após várias tentativas de votação adiadas pelas eleições deste ano e por pedidos de vista do parecer. Depois da análise do recurso na CCJ, caso o parecer seja aprovado, o processo de cassação ainda precisa seguir para o plenário da Casa.

Argôlo é acusado de participar de negócios ilegais com o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, em março deste ano. De acordo com denúncias divulgadas pela revista Veja, o doleiro transferiu mais de R$ 100 mil para o chefe de gabinete de Argôlo que transferiu o dinheiro para contas vinculadas ao deputado.

Comentários (0)

Governador entrega ônibus escolar em municípios no sul no estado

on .

siteO governador Jaques Wagner está concluindo a agenda da sua gestão

Com o objetivo de ampliar o conforto e a segurança dos estudantes da Rede Pública de Ensino, mais um ônibus escolar foi entregue pelo governador Jaques Wagner, durante visita ao município de Buerarema, na manhã desta segunda-feira (15). Orçado em R$ 250 mil, o veículo é dotado com equipamentos de acessibilidade, o que permite o transporte de alunos com deficiência física.

"Estamos aqui entregando mais um ônibus. Seguramente, isso representa mais tranquilidade aos nossos alunos", disse Wagner. Ainda em Buerarema, o governador assinou ordem de serviço para obras de cobertura do espaço onde funciona a feira livre da cidade. Após o evento, Jaques Wagner segue para as cidades de São José da Vitória e Almadina, para fazer a entrega de mais dois ônibus escolares.

Durante o evento em Buerarema, o governador comentou a questão do conflito por terras envolvendo produtores rurais e indígenas. "Estou vindo aqui, apesar de saber do trauma que se instalou na cidade. Estou aguardando uma posição definitiva do Governo Federal para pacificar a cidade. Está sendo feita uma revisão do laudo, e espero que o ministro da Justiça e a presidenta Dilma também tomem uma posição porque aí, pelo menos, as partes vão saber os direitos de cada uma. Quem discordar, vai ter que recorrer ao Supremo Tribunal Federal. O que não podemos é conviver com essa situação de impasse que é uma questão histórica, mas que tem que se tomar uma posição".

Comentários (0)

Vane e a sucessão de 2016

on .

Cópia de ututyut

* Marco Wense

Nem chegou 2015 e lá vem Marco Wense com 2016, é o que vou escutar durante toda semana no Café Pomar, tradicional ponto de encontro para o bate-papo político e o famoso cafezinho.

Se for um médico pediatra, que gosta de usar o palavreado da profissão no dia a dia, vai questionar a prematuridade da análise, que ela nasceu antes do tempo.

Alguns leitores vão buscar o ditado popular de que não se deve colocar a carroça na frente dos bois, que o artigo é intempestivo, consequência dos devaneios políticos do modesto colunista.

A discussão sobre a sucessão do prefeito Claudevane Leite (PRB) já é assunto obrigatório. E a maior dúvida é se o chefe do Executivo vai disputar o segundo mandato (reeleição).

Ora, ora, se está na boca do povo e a voz do povo é a voz de Deus – Vox Populi, Vox Dei –, então nada de precipitado e extemporâneo: o processo sucessório já começou.

A primeira legenda a colocar lenha na fogueira da sucessão é o PSDB do prefeiturável Augusto Castro. Pessoas bem próximas do tucano espalham que Vane não será candidato porque tem um acordo com o PCdoB.

São favas contadas a candidatura de Geraldo Simões pelo Partido dos Trabalhadores. O único petista com condições eleitorais para disputar o Centro Administrativo Firmino Alves.

O DEM de Maria Alice, ex-dama de ferro do ainda vivo fernandismo, tem a opção do médico Antonio Vieira, que não esconde a vontade, o esforço e a determinação de ser o candidato da legenda.

O presidente estadual do PDT, deputado Félix Júnior, não abre mão de candidatura própria. Dois nomes são citados nos bastidores da legenda brizolista: o do médico Antonio Mangabeira e do juiz Marcos Bandeira.

Tem Leninha Alcântara, a Leninha da Autoescola Regional. O problema é que a simpática postulante não sabe o que quer. É sempre hesitante, sem lado, politicamente sem rumo. É a Leninha versus Leninha.

O PMDB de Renato Costa, o PPS de Mariana Alcântara, o PTB do vereador Ruy Miscócio Machado e o PV do também edil Glebão não terão sequer pré-candidatos. São coadjuvantes.

O grande mistério é se Claudevane Leite vai disputar o segundo mandato. A decepção do alcaide com os políticos e a desilusão com a política são cada vez mais perceptíveis. Saltam aos olhos.

Adianto aos assíduos clientes do Café Pomar, sempre ávidos e ansiosos por informações, que nem o próprio Vane sabe se será ou não candidato à reeleição.

PS – A reprovação das contas do governo Vane pelo TCM, com denúncia ao Ministério Público Estadual, vai tornar o chefe do Executivo mais refém do PCdoB e da Câmara de Vereadores. O "núcleo duro" do vanismo, representado por Oton Matos (controlador-geral) e Marcos Cerqueira (secretário da Fazenda), fracassou na tentativa de diminuir a legenda comunista. Os prefeituráveis Augusto Castro e Geraldo Simões torcem para que o pega-pega entre comunistas e anticomunistas fique mais acirrado. Tucanos e petistas falam até em conflito com viés religioso.

Efeito bumerangue

O governador eleito de Minas Gerais, o petista Fernando Pimentel, vai ter que reconstruir um Estado destroçado por 12 anos de governos tucanos, sendo oito deles com Aécio Neves no comando.

É nessa reconstrução que vai aparecer um Aécio Neves irresponsável, desorganizado e mau gestor da coisa pública. Não à toa que o candidato do PT liquidou a fatura logo no primeiro turno.

Pimentel, que é muito próximo da presidente reeleita Dilma Rousseff, acaba de contratar Mário Spinelli – o "xerifão" das contas públicas – para uma faxina nas administrações do PSDB.

Spinelli vai confirmar que Minas é o segundo Estado mais endividado do país; que a dívida pública está estimada em 102 bilhões de reais; que não se cumpria o mínimo constitucional exigido para a Educação e a Saúde; que falta 1 milhão de vagas para o ensino médio; que o desvio na Saúde é de R$ 5 bilhões e a dívida na Educação é de R$ 8 bilhões.

O efeito bumerangue costuma ser demolidor, principalmente com quem tem telhado de vidro.

Cuidado, Vane!

Coluna Wense, 28 de outubro de 2012: "O prefeito Claudevane Leite, do PRB, legenda sob a batuta da Igreja Universal do Reino de Deus, precisa tomar cuidado com alguns conselheiros de plantão. Conselheiro bom é aquele que não é bajulador, que diz a verdade, independente de agradar ou não o chefe".

De mãos dadas

O relatório final da CPI mista da Petrobras no Congresso Nacional não pede indiciamento de ninguém, nem de empresários e, muito menos, dos senhores políticos.

Não poderia esperar outra coisa depois do acordo, ou melhor, do conchavo entre o PT e o PSDB para transformar a tal da "comissão" em pizza.

A Operação Lava Jato apreendeu documentos que apontam que o senador Aécio Neves foi procurado por representantes da Odebrecht para esvaziar a tal da CPI. O tucano-mor, candidato derrotado na sucessão presidencial, teria indicado os colegas Álvaro Dias (PR) e Mário Couto (PA) para "fazer circo"

Pois é. No frigir dos ovos, seja com manteiga ou margarina, é tudo farinha do mesmo saco, banana do mesmo cacho.

Comentários (0)

LOBÃO E O "FORA DILMA"

on .

* Marco Wense

LobãoLobão

Quem diria, hein! João Luiz Woerdenbag Filho, conhecido como Lobão, é o mais novo guru da direita brasileira. Uma espécie de guia espiritual.

A última manifestação pró-impeachment, na Avenida Paulista, em São Paulo, deixou o músico irritado, se achando um bobo da corte: "Cadê os parlamentares? Cadê o Aécio, o Caiado? Estou pagando de otário".

Lobão passou a tarde toda procurando pelo ainda candidato Aécio Neves, que, num vídeo postado, convocava as pessoas a ir para a rua, dando a entender que ele seria o primeiro a chegar no "Fora Dilma".

O jornalista Paulo Nogueira, diretor do diário Centro do Mundo, definiu bem a ausência do tucano-mor: "Se Lobão imaginou que Aécio gastaria uma tarde ensolarada de sábado para ir a um protesto, é mesmo um otário".

O vocalista Tico Santa Cruz, da banda Detonautas, aconselhou Lobão a cair fora do golpismo: "Se liga... estão te deixando sozinho nessa. Já tem um monte de maluco pedindo intervenção militar e o negócio tá ficando estranho".

Santa Cruz insinua que Lobão vai continuar como "otário" se teimar em ser o porta-voz do "Fora Dilma": "Esses caras são bons de falar na internet, na hora de ir para as ruas ninguém aparece".

E onde estava Aécio no dia do protesto? Ora, ora, o tucaninho curtia uma bela praia em Santa Catarina. Depois de convocar a turma, inflamando o "Fora Dilma", se mandou para o litoral de SC.

Se depender desse oposicionismo, digamos, curtidor, adepto do "ninguém é de ferro", protagonizado por Aécio Neves, o governo Dilma pode ficar despreocupado.

Como não bastasse ser uma figura engraçada, até mesmo folclórica, Lobão, que já representa os engravatados da Avenida Paulista, corre o risco de ser o "Mané do impeachment".

Comentários (0)

Prefeito de Ibicaraí é condenado pela Justiça Federal

on .

Lenildo Santana já recorreu da decisãoLenildo Santana já recorreu da decisãoDevido a irregularidades na licitação para compra de gêneros alimentícios da merenda escolar nos anos de 2009 e 2010, o prefeito de Ibicaraí, Lenildo Santana (PT) - foto, foi condenado pela Justiça Federal por improbidade administrativa. A decisão, que também prevê multa de R$ 10 mil, implica na perda dos direitos políticos do gestor pelos próximos três anos.

Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, Santana já recorreu da condenação, entrando com representação através do advogado Fernando Rugge. Ele permanece no cargo.

A decisão, movida pelo Ministério Público Federal da Bahia (MPF-BA), foi decretada pela juíza Maízia Seal Carvalho Pamponet. O recurso para a merenda escolar faz parte do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Junto com o prefeito, que está no segundo mandato consecutivo, outras seis pessoas que participaram da licitação tiveram as mesmas penas: Diones Sousa Guimarães, Anderson Fonseca Pereira, Alberto Antônio de Brito, Renivaldo Gomes de Lima e Adelson Oliveira dos Santos.

Comentários (1)

Aldenes define reação de Ruy como "choro de derrotado"

on .

Aldenes Meira nega que tenha ocorrido qualquer irregularidade na eleição da CâmaraAldenes Meira nega que tenha ocorrido qualquer irregularidade na eleição da Câmara

Dois dias após ser reconduzido à presidência da Câmara de Vereadores de Itabuna, Aldenes Meira (PCdoB) diz que vê sem nenhuma surpresa as queixas do vereador Ruy Machado (PTB), que saiu derrotado da disputa pelo comando do legislativo. Por meio de seu advogado, Machado contesta a eleição, afirmando que possui uma suposta lista com as assinaturas de 12 vereadores que teriam votado nele. Ele também questiona a incineração das cédulas de votação.

As alegações de Machado são rebatidas pelo advogado Leonício Guimarães, procurador da Câmara. "A destruição das cédulas é um procedimento normal, para assegurar a observância do Regimento Interno da Câmara, que determina o sigilo do voto", afirma Guimarães. Pela mesma razão, ele ressalta que qualquer declaração que explicite o voto do vereador é inválida perante o Regimento.

Guimarães diz ainda ser inverídica a alegação de que a incineração das cédulas ocorreu antes da proclamação do resultado, segundo afirmou o advogado do petebista. "Essa afirmação é totalmente inverídica, pois a destruição das cédulas se deu após a recontagem dos votos, solicitada por vereadores da chapa 1, e somente após a decretação oficial do resultado", frisa. O procurador observa ainda que o procedimento de incineração foi realizado pela Secretaria Parlamentar e perante vereadores das duas chapas. "Tudo foi feito de modo transparente e com registro por fotos e filmagem", destaca.

Normal – Aldenes Meira, por sua vez, diz encarar com tranquilidade as contestações da chapa opositora. "É normal quem perdeu ficar procurando motivos para questionar a vitória do adversário, mas é preciso respeitar alguns limites, como a verdade e o bom senso", alfineta o presidente. Ele afirma que não está preocupado com o "esperneio", acreditando que "com o tempo, a tendência é de que quem perdeu se acostume e absorva a derrota".

O presidente reeleito acrescenta, por fim, que neste momento está concentrado na preparação do concurso público da Câmara. No próximo dia 9, serão abertas as propostas de empresas interessadas em organizar o certame. Assim que for concluída a licitação, será divulgado o edital do concurso e definida a data de sua realização.

Comentários (0)

Aldenes Meira é reeleito e adversário quer anular votação na Câmara

on .

A votação para escolha do próximo presidente do Legislativo itabunense foi realizada na tarde de domingo (30), no Plenário Raymundo Lima

A disputa entre Aldenes e Ruy está à beira da JustiçaA disputa entre Aldenes e Ruy está à beira da JustiçaCédulas incineradas, votação tumultuada, vereadores engravatados a trocar farpas. A eleição da nova mesa-diretora da Câmara de Itabuna, para o biênio 2015-2016, daria um roteiro perfeito para uma novela do autor Agnaldo Silva. De um lado, por 11 votos a 10, o atual presidente do Legislativo, Aldenes Meira (PCdoB), foi reeleito na tarde de domingo (30). De outro, o resultado do pleito está sendo questionado pelo adversário dele na disputa, Ruy Machado (PTB), que esperava ter o aval de 12 colegas.

Segundo o advogado do vereador, Allah Góes, as cédulas foram incineradas antes mesmo da proclamação do resultado "O que respalda a proclamação é a leitura e aprovação da ata. Isso não houve. Quando o vereador Nadson Monteiro [PPS], um dos escrutinadores, pediu de forma verbal a verificação, já tinha acontecido a incineração", argumentou, por telefone, ao Diário Bahia.

O defensor disse, ainda, estar de posse de uma declaração subscrita pelos 12 edis que disseram ter votado em Ruy Machado (chapa 1). Devido a tais dúvidas, entrou com dois requerimentos junto à Secretaria Parlamentar da Casa. Num deles, pede a apresentação das cédulas da votação. No outro, solicita a anulação do pleito e marcação de nova sessão.

"Aguardamos uma resposta o quanto antes. Nossa expectativa é que o próprio Aldenes reconheça que houve vícios na votação. Caso seja negado, iremos ao Judiciário, para o povo de Itabuna saber quem foi eleito presidente", adiantou.

Góes reforçou, por fim, que o Regimento Interno da Câmara não prevê a obrigatoriedade de incineração de cédulas de votação.

Será que vai?

A chapa 2 é composta, também, pelo primeiro vice-presidente José Silva (PSDB), segundo vice Glaby Carvalho (PV), primeiro-secretário Antonio Cavalcante (PMDB), segundo-secretário Ailson Sousa (PRTB) e terceiro-secretário Ronaldo Geraldo (DEM).

A mesa-diretora, caso passe ilesa por esse entrevero, deverá tomar posse no dia 1º de janeiro de 2015, tendo como principais metas a realização do concurso público na Casa e a construção da sede própria.

Comentários (0)

Reforma administrativa prevê corte de secretarias e economia de R$ 200 milhões

on .

O governador eleito Rui Costa apresenta a composição administrativa da futura gestão (Fotos: Carla Ornelas/GOVBA)O governador eleito Rui Costa apresenta a composição administrativa da futura gestão (Fotos: Carla Ornelas/GOVBA)


 

 

 

O Governo do Estado submeteu à Assembleia Legislativa, ontem (1º), o projeto de lei que estabelece a reforma administrativa apresentada à imprensa pelo governador eleito, Rui Costa, e pelo Grupo de Trabalho de Transição Governamental, no Salão de Atos da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

Estão previstas a extinção de seis e a criação de três novas secretarias, reduzindo de 27 para 24 o número de pastas estaduais. Com a reestruturação de órgãos e a extinção de cargos públicos, as mudanças estimam uma economia de R$ 200 milhões, ampliando a qualidade dos serviços e modernizando o Estado. O projeto foi apresentado e também prevê a qualificação da gestão, através de indicadores e metas, o reforço nos controles internos das secretarias, e a eliminação de sombreamentos de competências entre os órgãos.

As medidas de racionalização e governança fortalecem as áreas de Saúde, Segurança e Educação, que também funcionarão de acordo com o padrão de atendimento já utilizado no Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC).

Novas Secretarias

Entre os destaques do projeto está o enxugamento na estrutura do Estado, que envolverá a extinção de seis secretarias, com a contrapartida da criação de três, em sintonia com as prioridades do governo e um alinhamento com as políticas públicas do governo federal.

Para fortalecer a atuação do governo, sobretudo no interior do estado, serão criadas as secretarias de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS) e a de Desenvolvimento Rural (SDR). Além disso, as secretarias da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos e a de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza darão origem à Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), o que aproximará as políticas de direitos humanos da execução das ações de desenvolvimento social, voltadas à promoção da inclusão e cidadania.

A Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional (Sedir) dará lugar, ainda de acordo com a proposta do grupo de transição, à SDR, que nasce com funções ampliadas e o foco na agricultura familiar. Com a extinção da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), suas funções passam a ser desenvolvidas pela Secretaria de Relações Institucionais. Já as ações da Secretaria da Indústria Naval e Portuária serão executadas pela Secretaria de Infraestrutura (Seinfra). A Secretaria para Assuntos da Copa (Secopa) encerra as atividades em 31 de dezembro deste ano, conforme determinou decreto que a criou.

Serão readequadas a Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), a Empresa de Turismo da Bahia S.A (Bahiatursa) e o Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia (Derba), que serão transformados em órgãos em regime especial, com vinculações, respectivamente, à nova SDR, à Secretaria de Turismo (Setur) e Seinfra. A EBDA passa a se chamar Bahiater.

Através do projeto de lei, o Estado propõe a alienação das suas cotas na constituição societária da Empresa Baiana de Alimentos S.A (Ebal), mediante realização de estudo técnico que demonstre o modelo e a forma para viabilizar a proposição. E a Superintendência de Construções Administrativas da Bahia (Sucab) será extinta, tendo funções absorvidas pela Conder e por secretarias estaduais.

O projeto de lei que estabelece a reforma administrativa, após a aprovação na Assembleia Legislativa, retornará ao governador Jaques Wagner para que seja sancionada.

Comentários (0)

Aldenes Meira é reeleito presidente da Câmara de Itabuna

on .

Aldenes estará à frente da Câmara também no biênio 2015/2016Aldenes estará à frente da Câmara também no biênio 2015/2016Por 11 votos a 10, o atual presidente da Câmara de Itabuna, Aldenes Meira (PCdoB), acaba de ser reeleito. Ele disputou com Ruy Machado (PTB), em votação realizada na tarde deste domingo (30).

A chapa 2, encabeçada por Aldenes, tem como primeiro vice-presidente José Silva (PSDB), segundo vice Ailson Rosa (PRTB), primeiro-secretário Antonio Cavalcante (PMDB), segundo-secretário Ronaldo Geraldo (DEM) e terceiro-secretário Glaby Carvalho (PV).

A mesa-diretora tomará posse no dia 1º de janeiro de 2015, tendo como principais metas a realização do concurso público na Casa e a construção da sede própria.

Comentários (0)

Rui define áreas para aplicação de emendas com bancada baiana

on .

unnamed - Cópia

O presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, confirmou ao Diário Bahia que o governador eleito Rui Costa anunciará segunda-feira (1º), na Assembleia Legislativa, a reestruturação administrativa para iniciar sua gestão. Já os nomes dos secretários, sustentou Anunciação, só deverá ocorrer depois do dia 10 de dezembro.

Regionalização da saúde, recursos hídricos e infraestrutura; essas áreas devem receber o maior volume de recursos provenientes das emendas da bancada baiana na Câmara. A informação foi anunciada pelo deputado federal e governador eleito da Bahia, Rui Costa, após participar de reunião, nesta quarta-feira (26), em Brasília, com o conjunto de parlamentares. A definição das prioridades partiu do próprio governador eleito, que ainda solicitou aos parlamentares que pactuassem a aplicação de suas emendas individuais nessas três importantes áreas, "de forma vinculada ao planejamento do Estado, atendendo às necessidades regionais", defendeu.

Na saúde, Rui disse que pretende construir novos centros de excelência de combate ao câncer no estado, além de ampliar o número de hospitais. Esta área será o principal foco da futura gestão.

Sobre a reforma administrativa, ele comunicou à bancada que anunciará a nova estrutura na próxima segunda-feira, na Assembleia Legislativa, e que o novo secretariado só será anunciado após o dia 10 de dezembro. "O foco da reforma da estrutura do Estado é melhorar a eficiência e aumentar resultados. Podemos fazer melhor com um custo menor".

Ao final da reunião, o coordenador da bancada, deputado José Carlos Araújo (PSD/BA), convocou uma nova reunião para a próxima quarta-feira, quando deve sair a lista das emendas, levando em consideração as prioridades definidas pelo governador eleito.

Comentários (0)

Aprovada pensão vitalícia de quase R$ 20 mil para ex-governadores da Bahia

on .

Ao sancionar a lei, Jaques Wagner, a partir de janeiro, também receberá a pensão vitalíciaAo sancionar a lei, Jaques Wagner, a partir de janeiro, também receberá a pensão vitalícia

Os deputados da Bahia aprovaram, por unanimidade, na última terça-feira (25), a Proposta de Emenda à Constituição 141/14, que cria a aposentadoria vitalícia para ex-governadores da Bahia. A PEC é de autoria do deputado Adolfo Menezes (PSD).

De acordo com o projeto, para ter direito ao benefício, os ex-gestores devem ter cumprido mandatos por quatro anos consecutivos ou cinco intercalados. Além disso, precisam ter contribuído por 30 anos com a Previdência Social.

O projeto, que agora só depende da sanção do governador Jaques Wagner, prevê que os ex-alcaides recebam pensão de cerca de R$ 19.369,67 mensais. Em caso de morte, a viúva do gestor passará a ter o benefício.

Contas do Estado

Também na terça-feira, os deputados baianos aprovaram as contas do governo do Estado referentes ao exercícios de 2011 e 2012. O Projeto de Decreto Legislativo 2.499/14, referente ao ano de 2011, foi aprovado por 35 votos a 3, enquanto que o Decreto Legislativo 2.500/14, para 2012, por 40 votos a 3.

Comentários (0)

Aprovada pensão vitalícia para ex-governadores da Bahia

on .

Cópia de JAQUES-WAGNERAo sancionar a lei, Jaques Wagner, a partir de janeiro, também receberá a pensão vitalícia

Os deputados da Bahia aprovaram, por unanimidade, na última terça-feira (25), a Proposta de Emenda à Constituição 141/14, que cria a aposentadoria vitalícia para ex-governadores da Bahia. A PEC é de autoria do deputado Adolfo Menezes (PSD).

De acordo com o projeto, para ter direito ao benefício, os ex-gestores devem ter cumprido mandatos por quatro anos consecutivos ou cinco intercalados. Além disso, precisam ter contribuído por 30 anos com a Previdência Social.

O projeto, que agora só depende da sanção do governador Jaques Wagner, prevê que os ex-alcaides recebam pensão de cerca de R$ 19.369,67 mensais. Em caso de morte, a viúva do gestor passará a ter o benefício.

Contas do Estado

Também na terça-feira, os deputados baianos aprovaram as contas do governo do Estado referentes ao exercícios de 2011 e 2012. O Projeto de Decreto Legislativo 2.499/14, referente ao ano de 2011, foi aprovado por 35 votos a 3, enquanto que o Decreto Legislativo 2.500/14, para 2012, por 40 votos a 3.

Comentários (0)

Discussão de nomes para governo de Rui Costa começa em duas semanas

on .

site rui costa novoProjeto leva serviços à Escola Paulo Freire

As articulações para formação do futuro governo de Rui Costa (PT) na Bahia envolvem três etapas: reestruturação, eficiência da máquina e discussões de nomes que integrarão a equipe. Esta última fase, segundo informou o presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, ao Diário Bahia, começará daqui a duas semanas.

O líder da sigla disse que está sendo cogitada a possibilidade de extinção de algumas pastas, fusão e fortalecimento de outras. É o caso da Secretaria de Desenvolvimento Regional, que deverá ter órgãos a ela incorporados, como a Superintendência de Agricultura Familiar. "O objetivo é aumentar a eficiência, melhorar a qualidade e diminuir custos", resumiu.

De acordo com Anunciação, o governador eleito mostra-se preocupado com o planejamento da administração e os compromissos firmados em campanha. Por isso, pretende escolher secretários cujo perfil seja de comprometimento com o programa de governo.

A equipe, conforme Costa, deverá ser anunciada entre os dias 10 e 15 de dezembro.

Comentários (0)

PT, PSDB e seus escândalos

on .

* Marco Wense

Fernando Henrique CardosoFernando Henrique CardosoNão é fácil mensurar quem roubou mais, quem mais assaltou os cofres públicos, quem foi o mais safadinho, descaradinho e espertinho, se o PT ou o PSDB.

"Como brasileiro, sinto vergonha", diz o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre o escândalo da Petrobras. Que coisa, hein! O FHC indignado com a corrupção. Vai terminar virando uma figura folclórica.

Ora, ora, o cartel das construtoras rouba a Petrobras há pelo menos 15 anos, desde que a empresa era comandada por Henri Philippe Reichstul, nomeado pelo então presidente FHC para o cobiçado cargo.

Esse Henri causou prejuízos bilionários trocando ativos da estatal com a espanhola Repsol. Ficou conhecido por tentar privatizar a Petrobras. Chegou até a propor a mudança do nome Petrobras para Petrobrax.

Durante o reinado de FHC, Paulo Roberto Costa, réu no processo que investiga o desvio de bilhões de reais na Petrobras, foi gerente de Produção e Exploração (1995), diretor da Gaspetro (1997) e diretor geral.

Na era FHC, os réus viravam vítimas com o bolso cheio, os delegados eram afastados e os juízes removidos. Alguém se lembra de um mangangão preso no governo FHC ou de alguma devolução de dinheiro?

E os mensalões? Ora, ora, o Ministério Público Federal considerou o mensalão do PSDB como o embrião do mensalão do PT. Tem algum mangangão tucano preso? Nem manganguinho.

A diferença do lamaçal petista para o tucano é na impunidade. Os larápios petistas foram julgados e condenados. Os gatunos tucanos sequer foram a julgamento. Continuam livres e soltos.

Ora, ora, o combate à corrupção no governo Dilma Rousseff alcançou as esferas dos corruptores. A Operação Lava Jato vai terminar fortalecendo a presidente: "Não vou deixar pedra sobre pedra".

Alguns jornalistas, ainda inconformados com a derrota de Aécio Neves, escrevem que a prisão de gente graúda se deve a instituições que funcionam com independência, citando o Ministério Público, Polícia Federal, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Ora, ora, por que essas instituições não tiveram o mesmo procedimento no governo FHC? Não eram independentes? Agiam de acordo com os interesses do Executivo, do mandatário-mor de plantão?

A reeleita presidente Dilma Rousseff tem razão quando diz que a Operação Lava Jato vai "mudar para sempre as relações entre a sociedade brasileira, o Estado e as empresas privadas".

O lado cômico do escândalo da Petrobras é FHC se dizendo envergonhado com a corrupção. Das duas, uma: ou tomou alguma pancada na cabeça ou sofre de "memorinite".

Ao admirar exageradamente a sua própria imagem, o príncipe da privataria tucana esquece que tem telhado de vidro e bico quebradiço.

 

Manoel Leal

Toda vez que acontece um fato político com o protagonista indo direto ao assunto, sem evasivas e subterfúgios, me lembro do saudoso jornalista Manoel Leal.

O fundador do semanário A Região, hoje sob a batuta do filho, o não menos polêmico e destemido Marcel Leal, não tergiversava frente a uma decisão, por mais complicada que fosse.

Essa semana, por exemplo, lembrei de Manoel Leal quando Silvio Santos deu um "não" a Rachel Sheherazade, jornalista, apresentadora e âncora do jornal SBT Brasil.

Rachel queria o aval do patrão para criticar a presidente Dilma Rousseff. Silvio Santos, sem titubear, disse: "Olhe, Rachel, se o Aécio tivesse vencido, tudo bem. Mas como a Dilma ganhou, é melhor você continuar calada".

A paixão de Leal pelo jornalismo era indescritível. Dia de domingo não era dia de descanso, e sim de muito trabalho. Manoel Leal, muito feliz da vida, distribuía pessoalmente o jornal.

A sinceridade de Manoel Leal assustava. Escrevia o queria escrever, dizia o que queria dizer. "Manoel Leal nos ofereceu ensinamentos, nos ofereceu lições de coragem", dizia o saudoso Eduardo Anunciação.

Anunciação, meu querido primo e amigo, parceiro no então blog Política, Gente e Poder, tinha uma verdadeira admiração por Leal: "Foi o vinagre, fel para os poderosos, como foi o açúcar, vinho, o mel para os amigos".

 

Aécio, o oposto de Tancredo

Tancredo NevesTancredo NevesAécio Neves, derrotado por Dilma Rousseff na sucessão da própria Dilma, é neto do já falecido Tancredo Neves, eleito presidente do Brasil pelo famigerado Colégio Eleitoral (1985).

Aécio, que aparentava ser seguidor das regras democráticas, um conciliador como o avô, não consegue esconder sua torcida por um "terceiro turno".

O ex-governador de Minas cospe na biografia do avô. O jornalista Sérgio Saraiva tem razão quando diz que "Aécio Neves, na encruzilhada da vida, entre Tancredo e FHC, fez a escolha errada".

Aécio não tem nada do avô Tancredo, mas tudo do emplumado Fernando Henrique Cardoso, o mais exótico e narcisista dos tucanos.

 

 

Bancada das Empreiteiras

Juntas, como estivessem de mãos dadas, as empreiteiras, hoje sob investigação da Operação Lava Jato, doaram R$ 47 milhões a 255 parlamentares filiados ao DEM, PSDB, PT, PMDB e PP.

O principal beneficiário foi o deputado Alexandre Leite (DEM-SP) com mais de R$ 2 milhões. O baianinho Lúcio Vieira Lima, do PMDB, foi agraciado com R$ 1 milhão.

 

1, 2, 3

A CPI da Petrobras no Senado cancelou reunião pela quinta vez. Dos 13 integrantes, somente três compareceram: o presidente da CPI, Vital Rêgo (PMDB-PB), o relator José Pimentel (PT-CE) e Aníbal Diniz (PT-AC).

Senadores do PSDB e do DEM faltaram. A reunião foi cancelada por falta de quórum. É a prova inconteste de que todo esse alvoroço oposicionista com o escândalo da Petrobras é puro teatro.

É bom lembrar que tucanos e petistas fizeram um acordo na CPI da Câmara dos Deputados. Um acordão. Diante dos holofotes, são ferrenhos adversários. Nos bastidores, o que prevalece é o incrustado e enraizado corporativismo.

Besta, e também culpado, é o eleitor que não procura separar o joio do trigo, votando em candidato ficha suja, mais sujo do que "pau de galinheiro", como diz a sabedoria popular.

Comentários (0)

Corpo do ex-ministro Márcio Thomaz Bastos é velado na Assembleia de São Paulo

on .

Do G1

Bastos foi internado na terça-feira (18) para tratamento de descompensação de fibrose pulmonarBastos foi internado na terça-feira (18) para tratamento de descompensação de fibrose pulmonar

O corpo do advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, de 79 anos, é velado na Assembleia Legislativa de São Paulo na tarde desta quinta-feira (20). O caixão chegou à Assembleia pouco.

Está previsto que o velório seguirá até as 8h desta sexta-feira (21). Em seguida, seguirá para o Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, Grande São Paulo, onde será cremado ainda no início da manhã.

Márcio Thomaz Bastos morreu na manhã desta quinta-feira (20) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.Bastos foi internado na terça-feira (18) para tratamento de descompensação de fibrose pulmonar, segundo boletim médico divulgado pelo hospital.

A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou que a presidente Dilma Rousseff viajou para São Paulo para participar do velório.

Comentários (0)

Prefeito de Ilhéus apresenta Projeto do Código Tributário a vereadores

on .

Reunião sobre o Código Tributário de Ilhéus - Foto Alfredo Filho okReunião sobre o Código Tributário de Ilhéus - Foto Alfredo Filho O prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, reuniu, na semana passada, 13, a bancada de apoio ao governo na Câmara para apresentar a Proposta de Lei (PL) que atualiza o Código Tributário do Município. Participaram os vereadores Tarcísio Paixão, James Costa, Nerival Reis, Roque do Sesp, Valmir de Inema, Raimundo do Basílio, Aldemir Almeida, Gilmar Sodré, Luis Carlos Escuta, Gurita e Ivo Evangelista, além dos secretários municipais de Planejamento, Joaquim Bastos, de Finanças, Raimundo Souza, de Meio Ambiente e Urbanismo, Antonio Vieira, o Procurador Geral, Otávio Carmo, o Chefe do Setor de Tributos, Fernando Fernandes e o diretor da empresa JurisData, Artur Mattos, responsável pelo processo de atualização.

No encontro, o prefeito destacou a necessidade de revisar a lei tributária para aperfeiçoar a arrecadação de impostos, principalmente aqueles atribuídos ao município, como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), além de atender a uma exigência legal da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) com vistas a um constante esforço para aumentar as contribuições aos cofres públicos.

Com esse intuito, o professor Artur Mattos apresentou a proposta de implantação da Planta Genérica de Valores (PGV), que caminha em conjunto com a atualização tributária, através da adoção de critérios para a apuração do valor venal (de mercado) de uma série de imóveis, que dará base para correção de valores do IPTU e do ITIVI (Imposto de Transmissão de Imóveis Intervivos).

De acordo com Mattos, a maior parte das PGV dos municípios brasileiros está desatualizada. O projeto prevê, então, o recadastramento dos imóveis e novos critérios para o cálculo do valor de mercado, sendo que os reajustes serão feitos gradualmente com base no valor do ano anterior, para evitar grandes diferenças anuais, mas será dado ao contribuinte o direito à contestação.

CASAS POPULARES – Uma preocupação do prefeito Jabes Ribeiro e dos vereadores presentes foi a aplicação dos novos critérios às casas populares, que são aquelas com até 100m² construídos. Segundo o chefe de tributos do município, Fernando Fernandes, das 32 mil residências cadastradas em Ilhéus,

hoje, 17 mil são populares. Com o recadastramento em curso, esse número pode até triplicar.

Dessa forma, o prefeito garantiu que todas as casas populares, com base nos critérios do PGV, serão isentas do IPTU. A medida, que livra moradores de morros, de bairros carentes e beneficiários do Minha Casa, Minha Vida, foi elogiada e aprovada pelos vereadores.

CÓDIGO TRIBUTÁRIO – Datado de 1997, o código tributário de Ilhéus foi classificado como defasado pelo professor Artur Mattos. A atualização permitirá ao município alinhar-se às novas demandas do código nacional e aperfeiçoar a contribuição, por exemplo, sobre a iluminação pública, a cobrança de Imposto Sobre Serviço (ISS) e IPTU das agências bancárias e a revisão do ICMS.

Durante a apresentação, os vereadores puderam tirar dúvidas sobre a proposta. Questionado pelos parlamentares, sobre a justeza do projeto, o prefeito Jabes Ribeiro disse que "Trata-se de uma política justa, honesta: aqueles que não podem pagar, não pagarão; mas quem pode e deve ao município terá que pagar", declarou.

Entre os principais pontos da Proposta estão: diminuição do tempo de validade da certidão negativa de débitos de 180 dias para somente 30, exigindo do empresário a constante regularidade do pagamento de seus impostos; implantação do Cadin (Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados) para pessoas físicas e jurídicas; recadastramento de empresas; o perdão total de pequenas dívidas; e cobrança por meio do Serasa para os grandes devedores.

TRAMITAÇÃO – De acordo com Ivo Evangelista, primeiro-secretário da Câmara de Vereadores, o projeto já tramita na casa e será avaliado pelas comissões de Finanças e Constituição e Justiça. Após essa avaliação preliminar, a PL será encaminhada ao plenário, para votação em dois turnos. O vereador Professor Gurita, presidente da comissão de Constituição e Justiça, convocou seus pares à votação urgente do projeto, considerando a necessidade de o município melhorar sua arrecadação e pelo fato de só ser possível a aplicação do novo código em 2015, se aprovado ainda este ano.

Comentários (0)

Efeito bumerangue

on .

* Marco Wense

O derrotado Aécio Neves, por enquanto pilotando em céu de brigadeiro, vive o seu momento de estilingue, mirando e atirando na vidraça do Palácio do Planalto.

O emplumado tucano, ainda boquiaberto com a reeleição da presidente Dilma Rousseff, prometeu, em seu primeiro discurso pós-eleição, um oposicionismo implacável, "nunca antes visto" na história política do país.

Não quer saber de conversa nem com a tucanada que comunga com a opinião de que é preciso desarmar o palanque, como defende o reeleito governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

"É fundamental que, depois destas eleições, se tenha uma postura de unir o Brasil", foi o que Marina Silva disse em 26 de outubro, dia da eleição do segundo turno.

Não sei se a ex-ministra de Lula continua com a mesma posição ou torce para que Aécio fique mais intransigente, o que faz lembrar a Marina Silva petista e opositora radical do então governo FHC.

Deixando Marina de lado, volto ao efeito bumerangue. É só uma questão de pouco tempo para que Aécio Neves deixe de jogar pedra no telhado do vizinho.

O governador eleito de Minas Gerais, o petista Fernando Pimentel, vai ter que reconstruir um Estado destroçado por 12 anos de governos tucanos, sendo que oito deles com Aécio no comando.

É nessa reconstrução que vai aparecer um Aécio Neves irresponsável, desorganizado e mau gestor da coisa pública. Não à toa que o candidato do PT foi eleito no primeiro turno.

Se Pimentel, que é muito próximo da presidente Dilma, resolver fazer uma oposição ao modo Aécio, coitado do senador tucano. O "quem conhece Aécio, não vota nele" vai ficar eternizado.

Vejamos alguns pontos: 1) Minas é o segundo Estado mais endividado do país. A dívida pública está estimada em 102 bilhões de reais. 2) Não se cumpria o mínimo constitucional exigido para a Educação e Saúde. 3) Faltam 1 milhão de vagas para o ensino médio. 4) A dívida na Educação é de R$ 8 bilhões e o desvio na Saúde é de R$ 5 bilhões. 5) E, por último, o golpe mortal com a extinção do Fundo de Previdência.

Ainda tem o mensalão tucano-mineiro, até hoje sem julgamento. O efeito bumerangue costuma ser demolidor, principalmente com quem tem telhado de vidro.

 

Reeleição

Claudevane Leite (Foto: Arquivo/Diário Bahia)Claudevane Leite (Foto: Arquivo/Diário Bahia)A reeleição é, sem dúvida, o tema da reforma política mais cercado de mentira, cinismo e muita demagogia. São poucos os parlamentares que defendem o segundo mandato consecutivo com convicção.

O que prevalece no movediço e traiçoeiro mundo político é o interesse individual, de um determinado grupo ou, então, de uma agremiação partidária, seja de esquerda, direita ou qualquer outro rótulo.

A maioria dos governadores eleitos foge do assunto como o diabo da cruz. Os senhores chefes de Executivo ficam na moita, já que a defesa do instituto não tem apelo popular.

Os reeleitos, por sua vez, antes favoráveis quando podiam se candidatar, são agora contrários à reeleição. São ardorosos defensores da alternância de poder.

Parece que ninguém leva a sério o fim da reeleição. Aqui em Itabuna, por exemplo, são favas contadas que o prefeito Claudevane Leite vai disputar a sucessão de 2016.

Ser contra ou a favor é um direito de todos. Inquestionável é a opinião de que a discussão sobre o tema não pode ficar refém do oportunismo eleitoral.

 

Prefeituráveis

Augusto Castro é certo. Geraldo Simões tem que disputar, sob pena de desaparecer politicamente. Não acredito na candidatura de Fernando Gomes. O ex-prefeito ficou borocochô com as derrotas de Aécio Neves, Paulo Souto e Geddel. O capitão Azevedo pode ficar inelegível. Davidson Magalhães fica na expectativa, torcendo para que a reforma política ponha um fim na reeleição. Depois é só correr atrás do apoio do chefe do Executivo. Outro nome – aposto que é de um médico – sem ligação com o fernandismo, petismo, azevismo e o vanismo pode surpreender.

Comentários (0)

Banda podre

on .

* Marco Wense

Eduardo CunhaEduardo CunhaA "Bancada dos Sujos", com 73 deputados federais, é a mais numerosa da próxima legislatura, passando o PT, PMDB e o PSDB, respectivamente com 70, 66 e 54 parlamentares.

Os 73 congressistas reeleitos, o que pressupõe uma aprovação dos mandatos pelo eleitorado, respondem a 150 inquéritos e várias ações penais: corrupção, formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro, tráfico de influência, sonegação fiscal e crime contra a Lei de Licitações.

Como são "representantes" do povo e "respeitados" homens públicos, a previsão é de que não aconteça nada com nenhum deles. O nada aí é cadeia, ficar atrás das grades. Literalmente presos.

Como não bastasse a turma das mãos sujas, o Parlamento corre o risco de ser presidido por Eduardo Cunha, líder do PMDB. O deputado carioca tem mais de 50 processos contra veículos de comunicação e jornalistas.

Se Cunha fosse do PT, os jornalões e a revista Veja estariam cobrando da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) uma posição firme em relação ao pretendente.

E por falar na ABI, ela sumiu. Escafedeu-se. Qualquer semelhança com a União Nacional dos Estudantes, a ex-atuante UNE, é fato.

 

Marina versus Dilma

Marina SilvaMarina SilvaA ex-candidata Marina Silva anda dizendo, se referindo a sua ex-rival na disputa pelo Palácio do Planalto, que "a realidade desmantela o marketing eleitoral da presidente Dilma".

A declaração da ambientalista foi provocada pela elevação da taxa básica de juros de 11% para 11,25 pelo Banco Central.

O problema é que Marina não tem autoridade para falar em mudança de comportamento. Como pré-candidata fazia uma defesa implacável da "nova política". Quando virou candidata, mudou. Chegou até a subir no palanque da família Bornhausen, em Santa Catarina.

Dizia que a polarização entre o PT e o PSDB era nociva à democracia, que nunca apoiaria nem o petismo e, muito menos, o tucanato. Terminou apoiando Aécio Neves no segundo turno.

O próximo passo político de Marina é retomar a coleta de assinaturas para legalizar a Rede Sustentabilidade. Ninguém sabe se é para ser candidata ou, quem sabe, vice de Aécio Neves (ou Alckmin) na sucessão de 2018.

 

Jornalistas

Foi um pega-pega no jornalismo político, principalmente entre os que defendiam Dilma e os que faziam campanha para Aécio.

Veja a última de Miguel do Rosário, no aguerrido e destemido blog Tijolaço: "Aécio acorda, à tarde, imaginando-se no Palácio do Alvorada, e chama sua esposa de primeira dama".

Comentários (0)

Dilma, o PT e a oposição

on .

Aecio-Neves2Aécio Neves

*Marco Wense

Quando um petista se queixa das dificuldades que cercam a presidente Dilma Rousseff, eu tento acalmá-lo dizendo que é assim mesmo. Faz parte do movediço mundo político.

Dependendo do "paciente", recomendo até um chá de paquetá, feito com capim santo, limão, água de flor e açúcar. Nada de sal ou qualquer outro ingrediente.

Enfrento a crescente lamúria com um forte e consistente argumento: seria pior, muito pior, se Dilma fosse derrotada. Aí, como diz o ditado popular, nem tico nem taco.

A oposição, deixando de fora os imbecis e os idiotas que uivam por uma interferência militar, faz o seu papel. Tem legitimidade e todo o direito de se opor, reclamar e espernear.

Quem não pode criar problemas para Dilma é o PT. Temas polêmicos não devem entrar na pauta do dia, sob pena de prejudicar o necessário diálogo com os diversos segmentos da sociedade e, principalmente, com o Congresso Nacional.

O exemplo-mor do que deveria ser evitado pelo petismo, especificamente pela cúpula da legenda, é a candidatura de Lula em 2018. Só faz oxigenar o radicalismo de uma oposição ainda inconformada com a derrota.

Cabe ao PT a tarefa de bombeiro e não de incendiário. Apagar o fogo com água e não com gasolina como querem alguns aloprados. Qualquer provocação é de uma burrice inominável.

Tudo que o tucanato deseja é que o Partido dos Trabalhadores e suas lideranças caiam na sua armadilha, na arapuca do "quanto pior, melhor".

É bom lembrar que Lula desceu do palanque assim que soube da vitória de Dilma. O Lula agora é outro. É o Lulinha paz e amor.

Do outro lado, um Aécio Neves apelando até para o demônio, dizendo que "o diabo se envergonharia da campanha do PT". Xô satanás! Sangue de Cristo tem poder.

 

Aécio e o diálogo

A reeleita presidente Dilma Rousseff já deu provas, sinais e explícitas demonstrações de que quer dialogar com todos, principalmente com a oposição.

O candidato derrotado, Aécio Neves, condiciona a conversa com Dilma "ao aprofundamento das investigações e exemplares punições aos protagonistas do escândalo da Petrobrás".

O engraçado é que enquanto o senador mineiro defendia uma apuração rigorosa, o PSDB fazia um acordo com o PT na CPI da Petrobrás para blindar petistas e tucanos envolvidos no petrolão.

O PT salva o seu tesoureiro, João Vaccari Neto. E o PSDB, o empresário Leonardo Meirelles, que denunciou à Polícia Federal o recebimento de propina por vários parlamentares tucanos.

Vale lembrar que a CPI da Petrobrás foi iniciada em 2009. O então presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, falecido em março deste ano, teria recebido, conforme delação de Paulo Roberto, R$ 10 milhões para esvaziá-la.

Pois é. Se Aécio Neves quer ser o "Aécio Pureza", então mude de agremiação partidária. Esse PSDB não é fácil. Qualquer semelhança com o PT não é mera coincidência.

PS – Governadores eleitos pelo PSDB, Geraldo Alckmin (SP), Beto Richa (PR), Simão Jatene (PA) e Marconi Perillo (GO), buscam uma aproximação com a presidente Dilma. Comungam com a opinião de que não se pode misturar política com o papel institucional que exercem.

 

Comemorando a miséria

A oposição comemora dados oficiais do governo de que há uma interrupção na redução de miseráveis. Houve um aumento de 3,7%. Ou seja, de 10,08 milhões para 10,45 milhões.

Ainda tem gente que condena os programas sociais dos governos Lula e Dilma. Se não fosse o tão criticado Bolsa Família, seria um Deus nos acuda. Se o comando do país estivesse sob a frieza e a insensibilidade do PSDB, os miseráveis já teriam passado de 20 milhões.

 

Galo insaciável

De um vascaíno sobre a eliminação do Flamengo na Copa Brasil: "Nem bem comeu o urubu, já pensa na raposa". Não deixa de ter duplo sentido. De qualquer maneira é um galo ousado.

Comentários (0)